ESCOLA BÁSICA, DIVERSIDADE E DIREITOS HUMANOS
PDF

Como Citar

Melo, J. W. R. de, Galan, D. R. H., Olinto, L. B., & Silva, L. R. C. da. (2018). ESCOLA BÁSICA, DIVERSIDADE E DIREITOS HUMANOS. REVISTA ESMAT, 9(14), 29-42. https://doi.org/10.34060/reesmat.v9i14.207

Resumo

No ambiente complexo da contemporaneidade encontra-se a educação. Os sistemas estruturantes da organização social se veem combalidos na perseguição de valores pautados em justiça social e democracia. A atenção à diversidade para atender às perspectivas dos direitos humanos é um imperativo no presente contexto. O objetivo deste artigo é desenvolver uma reflexão sobre a escola como um espaço-tempo em que a diversidade necessita aportar os direitos humanos. A pesquisa realizada configurou uma sistematização bibliográfica. A organização do artigo está realizada em três seções: uma caracterização do papel da escola na contemporaneidade; a diversidade para o diálogo com a igualdade como expressão de identidade; e, ao final do texto, procurou-se focar a educação para os direitos humanos em contraste com os currículos escolares para lidar com a diversidade.  
https://doi.org/10.34060/reesmat.v9i14.207
PDF

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó, SC: Argos, 2009.

BAUMAN, Z. Collateral Demage: social inequalities in global age. Cambridge, UK, Polite Press, 2013.

______. Postmodernity and its Discontents. Cambridge, UK, Polity Press, 1997.

BRASIL. Constituição Federativa do Brasil. São Paulo: Tecnoprint, 1988

CANDAU, V. M. Educação e Direitos Humanos, Currículo e Estratégias Pedagógicas. Disponível em: <http://www.redbrasil.net/documentos/biblioteca_on_line/modulo4/mod_4_veracandau.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2017.

CONNELL, W. Escuelas y justícia social. Madrid: Morata, 1997.

DOLL Jr., W. Currículo: uma perspectiva pós-moderna. Porto Alegre: Arte Médicas, 1997.

EDGAR, A. e SEDGWICK, P. Teoria cultural de A a Z: conceitos-chave para entender o mundo contemporâneo. São Paulo: Ed. Contexto, 2003.

ESTEVÃO, C.A.V. Educação, justiça e direitos humanos. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v.32, n.1, p.85-101, 2006.

FORQUIN, J – C. O currículo entre o relativismo e o universalismo. In. Revista Educação e Sociedade, ano XXI, n.73, dezembro, 2000, p.47-70.

FOUCAULT, M. Madness and civilization: a history of insanity in the age of reason, London, Tavistock, 1971.

GOMES, Nilma Lino. Desigualdades e diversidade na educação. In: Educação e Sociedade, Campinas , v. 33, n. 120, p. 687-693, Sept. 2012 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302012000300002&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 30 mar. 2017.

HARGREAVES, A. O Ensino na Sociedade do Conhecimento: A educação na era da insegurança. Porto Alegre (RS): Artmed Editora, 2004.

HINDESS, B. Multiculturalism and citizenship. In. KUKATHAS, C. (Org.): Multicultural citizens. The philosophy and politics of identity. St. Leonards: Center for Independent Studies, 1993, p. 33-45.

HUNTINGTHON, S. Aceprensa (Pensamiento), Madrid, junho de 1997.

KINCHELOE, J. e SREINBERG, S. Repensar el multiculturalismo. Barcelona, Octaedro, 2000.

LERNER, Delia. Ensenãr en la Diversidad; Conferencia dictada en las Primeras Jornadas de Educación Intercultural de la Provincia de Buenos Aires: Género, generaciones y etnicidades en los mapas escolares contemporáneos. Dirección de Modalidad de Educación Intercultural. La Plata, 28 de junio de 2007. Texto publicado en Lectura y Vida. Revista Latinoamericana de Lectura. Buenos Aires, v.26, n. 4, dez.2007.

LYNCH, J. Multicultural education in a global society. London: The Falmer Press, 1989.

McLAREN, P. Critical pedagogy and predatory culture. Oppositional politics in postmodern era. London: Routledge. 1997.

MELO, José Wilson Rodrigues de. (Org.). Currículo, diversidade e multiculturalismo. Curitiba : CRV, 2016.

RIBEIRO, M.R. e RIBEIRO, G. (Orgs.). Educação em direitos humanos e diversidade: diálogos interdisciplinares. Maceió: EDUFAL, 2012.

SACRISTÁN, J.G. Educar y convivir en la cultura global. Morata, Morata. 2001.

SEMPRINI, A. Multiculturalismo. Bauru, EDUSC. 1999.

SILVA, T. Teoria cultural e educação: um vocabulário crítico. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SANTOS, B.S. Por uma concepção multicultural dos direitos humanos. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2017.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A construção multicultural da igualdade e da diferença. 1999. Disponível em: <https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/11020/1/A%20Constru%C3%A7%C3%A3o%20Multicultural%20da%20Igualdade%20e%20da%20Diferen%C3%A7a.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2017.

STENHOUSE, L. Investigación y desarrollo del curriculum. Madrid: Morata, 1984.

TAILLE, Y.de la; MENI, M.S.S. (Orgs.). Crise de valores ou valores em crise? Porto Alegre: Artmed, 2009.

TAYLOR, Charles. Multiculturalism and the politics of recognition. Princeton: PUP, 1992.

UNESCO. Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural. Disponível em

<http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001271/127160por.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2017.

UNESCO. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) em 10 de dezembro de 1948. Disponível em:

<http://www.unesco.org.br/publicacoes/copy_of_pdf/decunivdireitoshumanos.pdf,>. Acesso em: 20 mar. 2017.

WALZER, M. Las esferas de la justicia: una defensa del pluralismo y la igualdad. México, D.F.: Fondo de Cultura Económica, 1997.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.