A Palestra “Adoecimento no ambiente de trabalho: é possível evitar?” discutiu saúde ocupacional, qualidade de vida e inteligência emocional. O Evento, realizado nesta segunda-feira (13/6), é uma iniciativa do Centro de Saúde da Diretoria de Gestão de Pessoas do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins (TJTO), em parceria com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT).

A capacitação tem por objetivo proporcionar aos(às) beneficiários(as) mais habilidades comportamentais que lhes oportunizem a prevenção de doenças, a melhoria em seu ambiente de trabalho e nas relações laborais, potencializando sua satisfação pessoal, o sentimento de cooperação, respeito e identidade para com o trabalho.

Tendo como instrutora e palestrante a mestra em psicologia social, Evanuzia Luzia de Oliveira, o Evento disponibilizou 80 vagas para magistrados(as) e servidores(as) efetivos(as) e comissionados(as) do Poder Judiciário Tocantinense, servidores(as) cedidos(as) e servidores(as) voluntários(as) devidamente lotados(as) na Diretoria de Gestão de Pessoas do Tribunal e na Comarca de Colinas.

A palestrante explicou sobre a importância de se manter atento à saúde mental dos(as)  servidores(as), “nós precisamos aprender a trabalhar, ter saúde, ser feliz e ter a inteligência emocional. As pressões de cobranças e de resultados não vão parar de acontecer. Por isso, precisamos fortalecer nosso emocional, para que essas cobranças do dia a dia não venham afetar nossa saúde física, emocional e também a nossa saúde espiritual”, comentou.

Projeto de Atenção à Saúde

O Projeto de Atenção à Saúde (PAS) é uma proposta do Comitê Gestor da Política de Atenção Integral à Saúde de Magistrados e de Servidores do Poder Judiciário Tocantinense e atende à Resolução nº 207 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de 2015.

O Projeto tem como foco a adoção de atitudes preventivas para a manutenção da saúde e o fortalecimento das bases sociais referentes ao ambiente de trabalho, ampliando o compromisso de cidadania, incentivando a melhoria do relacionamento interpessoal e intrapessoal, apresentando os seus beneficiários como detentores de capacidades de contribuição para o desenvolvimento dos seus trabalhos, enquanto pessoas capazes de avaliar e alterar, quando necessário, suas condições objetivas de trabalho.

O Poder Judiciário vem buscando exemplos positivos, práticas inovadoras que lhe possibilitem o alcance de sua missão: “Garantir a cidadania através da distribuição de uma justiça célere, segura e eficaz”.

 

Texto: Francielly Oliveira / Foto: Hordiley Canguçu

Para mais informações: Núcleo de Capacitação e Aperfeiçoamento de Servidores (NUCAS) – Telefone: 3218-4250; E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Destaques