A discussão dos avanços tecnológicos e a atuação do Poder Judiciário, visando à promoção dos Direitos Humanos, a inclusão digital e a privacidade na rede foram os temas do LII Encontro do Colégio Permanente de Diretores das Escolas Estaduais da Magistratura (COPEDEM), realizado pela segunda vez em parceria com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT), de maneira virtual devido às restrições sanitárias ainda vigentes.

Ainda na abertura do Evento, foi feita uma homenagem póstuma ao desembargador George Lopes Leite, que faleceu decorrente de complicações da Covid-19. Nas exposições, temas como os desafios do judiciário pela eminente utilização dos recursos digitais ante a pandemia de Covid-19, além do impacto da era digital, do cibernético e do espaço virtual na vida do cidadão foram discutidos ao longo da manhã. Também com a inserção de temas atuais, como a pós-verdade, o pós-humano, o giga e o nano poder, os sistemas automatizados e de monitoramento que invadem a privacidade do ser humano foram debatidos sob a luz do Poder Judiciário.

Segundo o ministro Mauro Campbell Marques, vice-diretor geral da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (ENFAM), a realização virtual do LII Encontro do Copedem reflete uma satisfação imensa da necessidade de as escolas estaduais da magistratura debaterem temas atuais e indispensáveis para o exercício da prática do Direito, “com o intuito de vencer as barreiras do aperfeiçoamento para melhor exercerem a atividade de julgar com imparcialidade. Barreiras muitas vezes impostas pelo fato de a sociedade brasileira ser hipercomplexa”, afirmou.

Para o desembargador Marco Villas Boas, presidente do Copedem, ao longo das últimas décadas o Colégio tem contribuído para as estratégias de formação de magistrados e servidores em todo o País, aprimorando o debate político, ofertando diversos cursos destinados a magistrados eà comunidade em geral, a advogados e a instituições.“Esse é um novo lugar que nos deixa inseguros no campo do Direito. Seria interessante que todas as escolas abrissem a questão dos direitos humanos na era digital com o objetivo de encontrar com menos dificuldades os resultados para os problemas supercomplexos que vêm surgindo a cada ano”, afirmou.

Devido às restrições sanitárias da pandemia, as atividades se deram novamente de maneira remota. A organização e a transmissão do Evento ficaram sob a responsabilidade da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT), com transmissão, por meio da página do Copedem, na Plataforma YouTube.Tendo como tema Direitos Humanos e Direito Digital – Inclusão digital e uso das novas tecnologias, e da inteligência artificial no Poder Judiciário –, o Evento contou com palestras de renomados magistrados e docentes de diversas instituições nacionais e internacionais.

Texto: Wherbert Araújo – Comunicação Esmat

Francielly Oliveira – Estagiária em Comunicação Social Jornalismo

Destaques