COMPLIANCE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA: O CASO DO PACTO PELA INTEGRIDADE NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO
PDF

Palavras-chave

Agronegócio. Compliance. Governança. Integridade. Lei anticorrupção.

Como Citar

Roberto Novacki, E., & Carolina Mazzer Machado, A. (2020). COMPLIANCE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA BRASILEIRA: O CASO DO PACTO PELA INTEGRIDADE NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. REVISTA ESMAT, 12(19), 129-144. https://doi.org/10.34060/reesmat.v12i19.351

Resumo

Trata-se do processo de implementação de políticas de compliance anticorrupção em órgão da administração pública direta do Poder Executivo Federal, com enfoque não somente nos marcos legais e infralegais, mas especialmente no desafio tático e operacional para implantação das ações, sob o enfoque qualitativo e descritivo, tomando como pano de fundo a publicação da Lei Anticorrupção (nº 12.846, de 2013), os programas federais de fomento à implementação das políticas de integridade e, mais detalhadamente, o Programa de Integridade em execução no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), denominado Programa Agro+ Integridade, desenvolvido como uma resposta ao quadro de corrupção que se verificou instalado no setor do agronegócio, conforme se viu na recente Operação Carne Fraca. Ressalta-se ainda a criação do Selo Agro+ Integridade, como inédita premiação setorial do governo Federal voltada ao reconhecimento dos esforços das empresas do agronegócio. Inserir essa prática de fomento externo em Planos de Integridade de entidades públicas da administração federal direta, apesar de desafiador, é a oportunidade de demonstrar como essa ferramenta pode contribuir para minimizar os riscos de corrupção e desvios de conduta, interna e externamente ao órgão público, e servir de exemplo para outros Órgãos Públicos. Entretanto, já nas reflexões finais sobre o tema, serão abordados os desafios futuros ligados à necessidade de amadurecimento nessa nova cultura de práticas íntegras dentro das instituições públicas e privadas, criando um canal efetivo de trocas de experiência, objetivando evitar os nefastos danos que comprometem a imagem das instituições públicas e privadas perante o mercado nacional e internacional. 
https://doi.org/10.34060/reesmat.v12i19.351
PDF

Referências

Brasil. Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU).Pró-Ética [página oficial do programa]. Brasília: CGU, 2017. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/assuntos/etica-e-integridade/empresa-pro-etica. Acesso em: 20 de fevereiro de 2018.

Breier, R. (2015). Implementação de programas de compliance no setor público é um desafio. Consultor Jurídico. Disponível em: http://www. conjur. com. br/2015-ago-20/ricardo-breier-compliance-setor-publico-desafio-pais. Acesso em: 19 de setembro de 2018.

Coelho, A. A. S. (2018). Compliance. Perspectivas e desafios dos programas de integridade. Belo Horizonte, MG: Fórum.


Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. (2007). http://www. dieese. org. br/anu/anuario2007.pdf. Acesso em: 1º de janeiro de 2019.

Fachin, O. (2003). Fundamentos de metodologia. 4ª ed. São Paulo: Saraiva.

Hubner, B. H., & Silva, C. L. (2016). A corrupção como fenômeno mundial: breves apontamentos acerca da corrupção e das convenções internacionais que ensejaram a edição da lei federal n.º 12. 846/2013 – Lei anticorrupção brasileira.

Kempfer, M., & Batisti, B. M. (2017). Estudos sobre o compliance para a prevenção da corrupção nos negócios públicos: ética, ciência da administração e direito. Londrina, PR: Revista do Direito Público, p. 273-307.

Leonel, V. T. (2001). Da geração e da Corrupção seguido de convite à filosofia. Tradução de Renata Maria Parreira Cordeiro. São Paulo: Landy Editora.

Mendes, F. S., & de Carvalho, V. M. (2017). Compliance: concorrência e combate à corrupção. Editora Trevisan.

Richardson, M. Fundamentos da metodologia cientifica. São Paulo: 1999. São Paulo: Atlas o controle da Administração Pública brasileira. Int. Públ. – IP, Belo Horizonte, ano 19, n. 102, p. 27-44.

Ribeiro, M.C.P & Diniz, P.D.F. (2015). Compliance e Lei Anticorrupção nas Empresas. Revista de Informação Legislativa. Ano 52, Número 205.

Site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/. Acesso em: 6 de março de 2019.

Sousa, L. (2010). Anti-Corruption Agencies: Between Empowerment and Irrelevance. Crime, law and social change, 53(1), 5-22.