Com a proposta de despertar a consciência de todos(as) sobre a adoção tardia e incentivar o sistema A.DOT, o qual possibilita que crianças, adolescentes e famílias se encontrem mais rapidamente e de forma mais eficaz no processo de adoção, a Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, em parceria com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT) realizaram, nesta terça-feira (28), o II Webinário “Adoção: amor sem idade”, com a temática A adoção necessária

Durante a abertura, a desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, corregedora geral da Justiça apresentou dados que apontam a situação do sistema de adoção no Brasil, “dados levantados no Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento mostram que hoje, no Brasil, existem 29.730 crianças e adolescentes em serviços de acolhimento institucional. Deste total, 4.158 estão aptas à adoção e 32.838 pretendentes disponíveis para adotar”, ressaltou.

“Diante desse desafiador cenário, é imprescindível sensibilizar e conscientizar os(as) pretendentes para a adoção de grupos de irmãos(ãs) ou de crianças e adolescentes que apresentem alguma condição especial de saúde. Também precisamos dar visibilidade a essas crianças e adolescentes, para ampliar as possibilidades de formação de novas famílias”, explicou a desembargadora.

Na ocasião, o juiz Adriano Gomes de Melo Oliveira, coordenador estadual da Infância e Juventude, do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, parabenizou a Esmat pelo trabalho e reforçou a importância de realização do Evento, “é um tema sem dúvidas muito árduo, que nós trabalhamos no dia a dia. Felizmente, neste biênio tenho percebido empenho da Corregedoria Geral de Justiça e o empenho da Esmat, que nos propicia a concretização de diversas oportunidades como essas para debatermos temas como o da adoção necessária. Tão especial para as nossas crianças e adolescentes, principalmente aquelas que não compõem o perfil que são mais buscados pelo serviço nacional de adoção”, completou.

A programação do Evento contou com a presença do juiz Sérgio Luiz Ribeiro de Souza, titular da 4ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Comarca da Capital do Rio de Janeiro, que debateu sobre os desafios nas adoções necessárias.

Em uma apresentação emocionante, a juíza Hélvia Túlia Sandes Pedreira, da Vara de Família e Sucessões, Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, comentou sobre Adoção Necessária por meio de uma perspectiva de quem trabalha na área. O Evento foi finalizado com os emocionantes depoimentos de Prycilla Maria Eleutério de Oliveira e Angélica Mourão Seabra.

Aplicativo A.DOT

De acordo com a desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, “todos(as) os(as) pretendentes habilitados(as) podem ter acesso ao aplicativo, basta baixar o APP no celular ou tablet e se cadastrar. Os dados são cruzados com os do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA) e certificados pela Corregedoria Geral da Justiça, assegurando que apenas os(as) pretendentes inseridos(as) no SNA tenham acesso a fotos e vídeos das crianças disponíveis na ferramenta para adoção”, esclareceu.

O aplicativo A.DOT conecta crianças e adolescentes em condições de adoção com pretendentes habilitados(as) no Cadastro Nacional de Adoção, dispostos(as) a transformar suas histórias, e tem como objetivo possibilitar que crianças e adolescentes que não se encaixam no perfil mais procurado pelos(as) pretendentes sejam vistos e conhecidos por aqueles que procuram e desejam realizar o sonho da adoção.

 

Para mais informações: Núcleo de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (NUFAM) — Telefone: 3218 – 4408; E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Texto: Francielly Oliveira — Comunicação Esmat

Destaques