Com a proposta de despertar a consciência sobre a segurança institucional, quanto às práticas de engenharia social que visam manipular pessoas para obtenção de informações ou para fazer ou deixar de fazer alguma coisa, bem como prevenir contra ameaças virtuais e físicas, dentro e fora das dependências do Poder Judiciário, em conformidade com a manifestação da Divisão de Inteligência, a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT) realizou, nesta terça-feira (21), o Evento Segurança Institucional – Ameaças Virtuais e Físicas.

Na abertura do Evento, o desembargador Pedro Nelson de Miranda Coutinho – coordenador do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins – reforçou a importância do investimento em conhecimento e conscientização na segurança institucional. “Quando se fala em ameaça institucional, envolve a segurança de todos do Poder Judiciário ou que façam uso das suas dependências e de seus serviços. Dessa forma, o presente Evento tem como propósito apresentar um recorte do presente com um olhar para o amanhã”, afirmou. 

Realizado no formato de bate-papo com respostas a internautas, o Evento contou com a presença de diversas autoridades ligadas às forças de segurança e inteligência digital, visando à proteção em ambiente físico, tratando da identificação e gerenciamento de riscos com base em cenários prospectivos que possam afetar a integridade física de servidores(as), magistrados(as) e demais frequentadores(as) das instalações físicas do Poder Judiciário.

Texto: Wherbert Araújo — Comunicação Esmat

Destaques