Os debates sobre as relações de trabalho ante os avanços tecnológicos e o enfrentamento da pandemia, mais precisamente no sistema de delivery de alimentos, e as questões de possíveis precarizações no sistema trabalhista brasileiro foram temas abordados no Webinar Plataformas digitais e o futuro do trabalho: desafios, impactos e regulação, promovido pelo Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (COPEDEM) em parceria com a Escola Nacional da Magistratura (ENM) e com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT), sob a Coordenação da Memory – Memória. O Evento contou com a participação de diversas autoridades acadêmicas e empresariais que debateram sobre o tema. 

Para o desembargador Marco Villas Boas, presidente do Copedem, a chegada dos canais digitais e serviços de entrega já eram uma tendência antes mesmo da pandemia. O desembargador reforçou a necessidade de se discutirem as relações de trabalho com a intensificação do serviço. “Este é um fórum permanente de capacitações constantes de magistrados, promovendo a participação nos debates jurídicos que desentrave e encontre soluções nas relações sociais e de trabalho”, afirmou.

Com o apoio cultural do Ifood, o Evento está disponível na página do Copedem na plataforma do YouTube. O Webinar contou com a presença do ministro Douglas Alencar Rodrigues, do Tribunal Superior do Trabalho; do advogado e professor do Direito do Trabalho na Universidade Mackenzie, Juliano Barra; do diretor sênior jurídico e de políticas públicas do Ifood, Lucas Pittioni; da advogada e professora, Tatiana Ferraz Andrade; e do advogado e professor na Escola de Direito da FGV/SP, Sólon Cunha.

Moderado pelo juiz do Trabalho e coordenador da Escola Nacional da Magistratura, Paulo Roberto Dornelles Júnior, o Evento contou também com as presenças do diretor-presidente da Escola Nacional da Magistratura, Caetano Levi (TJMG), sendo coordenado pela professora Lourdes Gonçalves, da Memory – Centro de Memória Jurídica.

 

Comunicação Esmat