A programação da 1ª Semana Setembro Amarelo do Judiciário tocantinense, na tarde desta terça-feira (21/9), foi dedicada à realização da Live Interativa (Roda de Conversa sobre o suicídio – falar, agir e salvar) com a equipe técnica do Núcleo de Acolhimento e Acompanhamento Psicossocial (NAPsi) do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO). A Semana é uma iniciativa do Poder Judiciário, por meio do NAPsi, em parceria com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat). A transmissão foi via Sistema Acadêmica Virtual da Esmat (SAV Esmat).

A pauta da conversa girou em torno da sensibilização quanto ao tema suicídio, um problema de saúde pública mundial que afeta mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo. No Brasil, são cerca de 13 mil suicídios por ano, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021. O NAPsi trouxe ao diálogo assistente social, psicólogos e psiquiatra.

Convidado para o evento, o doutor em Psicologia pela Universitá Pontíficia Salesiana Roma Rodolfo Petrelli abordou o tema sob a perspectiva do desejo. Italiano, exilou-se no Brasil em 1973. Ele iniciou sua participação com uma citação contundente: “sem desejar a vida, a morte se aproxima”. Falou do poder do desejo em suas dimensões lúdicas, de um prazer construtivo sem imposições, sejam estas culturais, organizacionais ou familiares.

Outros pontos abordados pelo especialista foram a espiritualidade, a tolerância às diversidades, o respeito ao tempo e à coragem. “Sem a espiritualidade, o desejo é demoníaco. A coragem está na esperança, que não é um devaneio. É algo de profundo, é força vital. Deus não existe. Deus é. Nós somos faíscas do desejo de Deus”, destacou.

Vanguarda

Segundo o mediador da live, o psiquiatra Wordney Camarço, o suicídio é uma demanda urgente. Ele ressaltou o aumento da incidência de mortes por suicídio no Brasil e no mundo. Preocupação compartilhada pelos demais profissionais presentes. Camarço disse também que o Núcleo oferece um serviço de vanguarda. “Nossa função é acolher e acompanhar o servidor doente. Dentro do NAPsi não existe hierarquia técnica, cada um de nós pode atender a quem nos procura”. O psiquiatra informou que em 35,8% das mortes por suicídio as pessoas sofrem de algum transtorno mental. A bipolaridade, depressão, transtornos por uso de substâncias tóxicas foram alguns dos fatores citados pelos especialistas e que podem induzir ao suicídio. Os psicólogos Tássio Soares de Oliveira, Janaína Rodrigues de Araújo, Ana Beatriz Dupré e a assistente social Silvaneide Tavares também fizeram uso da palavra.

Agradecimentos

A coordenadora do NAPsi, a psicóloga Bárbara Camargo, fez um breve relato da história da implantação do Núcleo e da sua satisfação em compor a equipe. O NAPsi foi instituído pela Resolução Nº 27, de 24 de junho de 2020, aprovada por unanimidade pelo Tribunal Pleno e inaugurado em 10 de novembro de 2020. “O NAPsi foi estruturado para acolher, receber essas pessoas em sofrimento e prevenir os adoecimentos psicossociais”. Ela agradeceu à Presidência do TJTO, à Esmat, à Corregedoria-Geral da Justiça e ao Comitê de Saúde pela realização do evento. “O Setembro Amarelo é um convite à reflexão e para que possamos sensibilizar a comunidade para um assunto ainda tão permeado de estigmas e tabus”, concluiu Bárbara que ilustrou sua fala com a poesia “Mal Secreto”, de Raimundo Correia.

Na ocasião foram repassados contatos telefônicos do NAPsi para quem estiver precisando dos serviços do Núcleo: (63) 3901-9052/9053.

Programação

Nesta quarta-feira (22/9), a programação da 1ª Semana Setembro Amarelo do Judiciário realizará o mutirão de doação de sangue (os interessados devem procurar a carreta estacionada em frente à sede do TJTO, das 13h às 17h30). E encerrando as atividades, na quinta-feira (23/9), às 18h, será realizado o Aulão com a equipe da Academia Personal e sorteio de brindes, também no estacionamento em frente ao Tribunal.

 

Texto: Ramiro Bavier

Fotos: Divulgação

Comunicação TJTO