Sidebar

Os avanços e desafios da temática da socioeducação e os cumprimentos das medidas socioeducativas, como também as atividades de formação e educação dos profissionais que atuam na área foram os temas abordados no Workshop – Socioeducação em Foco –, promovido pela Secretaria de Cidadania e Justiça (SECIJU) em parceria com Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT).

Contando com três palestras que abordaram o contexto brasileiro, segurança cidadã e o programa Fazendo Justiça, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Evento, destinado a magistrados, servidores do Judiciário; servidores do Sistema Socioeducativo do Estado do Tocantins e a demais estados; servidores da Secretaria de Cidadania e Justiça (SECIJU); servidores e membros do Ministério Público e da Defensoria Pública Estadual; membros e servidores do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA); estudantes; comunidade e sociedade civil, contou com dezenas de participantes.

Na solenidade de abertura, o senhor Heber Fidelis, secretário de Estado da Cidadania e Justiça, lembrou a atual conjuntura global ante a pandemia da Covid-19, como também a possibilidade de ações integradas. “O momento é de promover diálogos, acerca dos diversos temas que envolvem a política, com nossos servidores do sistema socieducativo, que são agentes fundamentais e estão à frente da promoção do cumprimento das medidas socioeducativas em meio fechado: semiliberdade e internação, e internação provisória, além de proporcionar reflexão e debate sobre a temática da socioeducação no Brasil, possibilitando e provocando diálogo com os magistrados e os servidores do Poder Judiciário”, afirmou.

Já o juiz Frederico Paiva, coordenador estadual da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, lembrou a importância do Evento na formação dos profissionais que atuam nas questões ligadas ao sistema socioeducativo no Estado. “Percebo que é bastante louvável a iniciativa para discutirmos temas relevantes e sensíveis, não só para o jovem que está em cumprimento de medida, mas também para todos aqueles que lidam em relação a como desenvolver, como interagir, como fazer a melhor interlocução para que a medida socioeducativa de fato atinja aquele conteúdo pedagógico tão almejado e tão desejado pelo Estatuto dos Direitos da Criança e do Adolescente, como também pela Lei do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE)”, afirmou.

O Workshop – Socioeducação em Foco contou com o apoio do programa Justiça Presente, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) e Escola Superior de Formação e Qualificação Profissional, da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça.

 

Texto: Wherbert Araújo – Comunicação Esmat

Colaboração: Francielly Oliveira – Estagiária em Jornalismo

Destaques