A primeira parte do II Seminário da Cidadania do Tocantins, iniciada na manhã desta sexta-feira (6), lembrou o empenho que cada um de nós precisamos ter para alcançar os objetivos e sonhos, mas também alertou sobre os desafios sociais e a promoção dos Direitos Humanos ante a pandemia do coronavírus, como também os impactos ao Meio Ambiente causados pela ação humana.

Na manhã desta quinta-feira, o juiz Gilson Coelho Valadares apresentou a palestra Origens Difíceis com Destinos Brilhantes: educação e cidadania, tendo como debatedor o juiz Wellington Magalhães. De maneira simples e direta, o juiz Gilson Coelho fez um relato oral de sua trajetória, desde a infância difícil, a busca pelo conhecimento e, já na magistratura, sua atuação em defesa dos direitos da sociedade tocantinense.

A segunda parte contou com a palestra da professora doutora Zita Ana Lago Rodrigues, que falou sobre Ética, a Educação para a Cidadania, a Sociabilidade e os Direitos Humanos Fundamentais, tendo como debatedor o desembargador Eurípedes Lamounier, presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Tocantins.

Em sua fala, a professora doutora analisou a atual conjuntura mundial ante a crise sanitária “colossal”, segundo suas palavras. Lembrou também que nestes momentos de grandes desafios é preciso garantir a promoção dos direitos fundamentais, como o acesso à saúde e à educação, aliado a um pensamento crítico que promova mudanças nos contextos locais, nacionais e mundiais.

O II Seminário da Cidadania do Tocantins segue nesta tarde com outras três palestras. O Seminário é direcionado a magistrados, servidores do Judiciário tocantinense e à sociedade em geral, e será transmitido inteiramente na modalidade Ensino à Distância, por meio da Plataforma Virtual da Esmat.