A fim de esclarecer melhor a transdisciplinaridade na tecnologia da informação, o professor doutor João Bosco Mota Alves falou sobre “Teoria Geral de Sistemas, as TICs e Tomada de decisão”, na segunda parte do V Fórum Tocantinense de Tecnologia da Informação, na tarde desta quarta-feira (4/9).

De acordo com ele, "quando se conhece uma organização sistêmica, se conhece a parte visível. É preciso mergulhar para ver um pouco mais, com mais detalhes. Evidentemente, uma modificação no ambiente pode gerar uma modificação no sistema e vice e versa. A tomada de decisão está, claro, sujeita ao erro, mas ainda é necessária. E quando a decisão coletiva acaba sendo individual, a chance é maior ainda. E é nisso que as TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação) podem nos auxiliar", explicou.

Em seguida, compuseram a mesa redonda, com o tema “As melhores práticas no uso da Tecnologia no poder Judiciário Tocantinense”, o professor doutor Gentil Veloso e os debatedores Marcelo Leal, diretor da Tecnologia de informação do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins (TJTO), Neuton Melo, servidor da Escola Superior da Magistratura (Esmat), Vanius Girodo Brito, representando o Tribunal de Contas do Estado (TCE-TO), e Cleoberte Santos, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO).

Dentre os assuntos expostos, cada debatedor apresentou como funcionam os sistemas de tecnologia aplicados em cada instituição do poder judiciário. Dentre os assuntos de Tecnologia Blockchain e Ecossistema Tecnológico de Sucesso, Marcelo Leal palestrou a respeito da Segurança da Informação nas Instituições.

Ao falar sobre o Ciclo 2015 -2020, o diretor ressaltou a melhoria da infraestrutura e segurança das TICs. De acordo com ele, o TJTO trabalha para garantir a segurança da informação balizado na disponibilidade dos seus serviços e sistemas em conformidade com o planejamento estratégico.

“Na prática, lidamos com a padronização da infraestrutura de todas as comarcas. A modernização dos ambientes de alta disponibilidade, a consolidação de servidores, que eram físicos e migraram para o virtual, a segurança de rede, onde 100% das unidades do Judiciário contam com segurança in loco, e a conformidade, que está amparada no planejamento estratégico e pautada nas determinações do CNJ”, afirmou.

O evento, que é uma iniciativa do programa de pós-graduação stricto sensu Mestrado Profissional em Modelagem Computacional de Sistemas da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com o TJTO, por meio da Esmat. E tem como objetivo oportunizar aos participantes acesso aos estudos recentes nas áreas que envolvem a Tecnologia da Informação no Tocantins.

Texto: Júlia Fernandes / Fotos: Rondinelli Ribeiro

Comunicação TJTO