O diretor geral da Esmat, desembargador Marco Villas Boas, recebeu, juntamente com a juíza auxiliar da presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, Rosa Maria Gazire Rossi, na tarde dessa terça-feira (2/4), a equipe do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (DMF), do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para definir a estrutura necessária para implantação do Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU), no Tocantins.


O juiz coordenador do Sistema Eletrônico de Execução Unificado, Oswaldo Soares Neto, elogiou as instalações da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT) que sediará atividades de capacitação de servidores e magistrados das Varas Criminais, membros do Grupo de Monitoramento e Fiscalização Carcerária do Estado do Tocantins (GMF), técnicos da Diretoria de Tecnologia da Informação, Ministério Público Estadual (MPE) e Defensoria Pública Estadual (DPE) que operacionalizarão o sistema, no Estado.


A previsão de início da implantação do Sistema Eletrônico de Execução Unificado, no Poder Judiciário tocantinense, é no próximo dia 23 de abril. A ferramenta estará em funcionamento, em todo País, até o fim do ano.

 

Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU)


O Sistema Eletrônico de Execução Unificado é o novo sistema do Conselho Nacional de Justiça, desenvolvido em parceria com o Tribunal de Justiça do Paraná, que permite o controle informatizado da execução penal e das informações relacionadas ao sistema carcerário brasileiro em todo o território nacional.


O sistema permite um trâmite processual mais eficiente e proporciona a gestão confiável dos dados da população carcerária do Brasil. Tudo isso por acesso direto pelo computador ou smartphone.