[1]
A. D. de Oliveira Júnior, “A INCIDÊNCIA DO ART. 186 DO CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO NO ABANDONO AFETIVO DOS PAIS. É POSSÍVEL?”, REESMAT, vol. 3, nº 3, p. 33-56, set. 2016.