Avaliação e autoavaliação na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), como também produção técnica nos programas profissionais serão debatidos no Seminário Perspectivas para Avaliação da Pós-Graduação: tendências e estratégias. O Evento será realizado pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), em parceria com a Escola Superior de Magistratura do Tocantins (ESMAT), na próxima segunda-feira (13/5), a partir das 8h30, no auditório da Esmat.

Iniciativa dos Programas de Mestrado em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos (PPGPJDH) e de Modelagem Computacional de Sistemas, o Seminário visa possibilitar o fortalecimento da Pesquisa e Produção Técnica, por meio da integração do corpo docente, discente e representantes da Capes.

O Evento contará com a participação de dois renomados pesquisadores: o professor doutor Robert Verhine, coordenador nacional da área de Educação da Capes, e o professor doutor Eduardo Winter, coordenador nacional adjunto da área interdisciplinar da Capes.

Robert Verhine afirma que “o aspecto mais importante e mais desafiador do trabalho de coordenador de área é o estabelecimento de critérios e indicadores que captam a essência da qualidade de um programa”.

A programação do Seminário abrange aspectos relacionados à pesquisa nos programas stricto sensu, e abordará os seguintes temas: Impactos e Inserção Social dos Cursos de Pós-Graduação; Novidades sobre Processo de Avaliação e Autoavaliação na Pós-Graduação/Capes; e Produção Técnica nos Programas Profissionais.

 

Produção Técnica

A Produção Técnica é resultado de diversas atividades acadêmicas e profissionais, com geração de variados tipos de informação e com aplicações diversas. A realização de trabalhos técnicos requer a aplicação de conhecimentos e a realização de pesquisas que sejam reconhecidas e valorizadas. Algumas áreas desenvolvem mais atividades técnicas que científicas, havendo diferença de tratamento da Produção Técnica pelas agências de fomento CAPES e CNPq, ou seja, uma mesma atividade é classificada de forma distinta pelas agências.

Melhorar os serviços de coleta, apresentação dos dados, identificação, classificação e, ainda, a possibilidade de comunicação e recuperação da Produção Técnica são objetivos das ações desenvolvidas pelas instituições acadêmicas e as agências de fomento em busca da padronização, sua disseminação e acesso por meio de Repositórios Institucionais.

Clique aqui para conferir a programação.

Mais Acessadas