Contando com alta participação e questionamentos acerca da promoção de cultura de paz, o V Seminário sobre Políticas Públicas de Tratamento Adequado de Conflitos e 6º Encontro dos Centros Judiciários de Solução de Conflitos (CEJUSCs), promovido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, por meio do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (NUPEMEC) em parceria com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT), discutiu, na tarde desta sexta-feira (8), mecanismos consensuais para solução de conflitos.

Na abertura do Evento, o desembargador João Guimarães Rigo, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, reforçou a importância da multiplicidade de debates que integram a solução de conflitos. “Este Seminário irá debater temas ligados à gestão e ao tratamento de conflitos e mediação, à luz dos paradigmas jurídicos implementados no Brasil”, afirmou. Já a magistrada Odete Batista, presidente da Asmeto e membro do Conselho Institucional e Acadêmico da Esmat, reforçou a importância da participação da sociedade nos debates e solução de conflitos. “A conciliação já reconhece que não só operadores do Direito e o Conselho Nacional de Justiça têm preocupação com o tema, mas também precisam caminhar para efetividade na resolução de conflitos”, afirmou.

A Programação teve como objetivo capacitar os(as)  participantes para trocarem experiências que possam contribuir para a melhoria e o aperfeiçoamento das atividades desenvolvidas, voltados à solução de conflitos, e fomentar a autocomposição e o uso de seus métodos. Na pauta de discussões dos eventos simultâneos, foram abordados temas, como: Constelação Familiar; Mediação de Conflitos em Grandes Empreendimentos; Participação de Atores Sociais e Entidades Representativas com Lugar de Fala e Atuação, entre outros assuntos.

Texto: Wherbert Araújo – Comunicação Esmat

Colaboração: Francielly Oliveira – Estagiária de Comunicação – Esmat